BLOG

Veja como é a edição e produção de um livro no Circuito Cultural de Pernambuco

Veja como é a edição e produção de um livro no Circuito Cultural de Pernambuco

Quem abre um livro para ler nem sempre costuma pensar sobre a edição e a produção da obra. Na prateleira da estante ou na tela de um aparelho eletrônico, ele está ali, pronto para ser consumido. Mas até chegar às suas mãos saiba que um longo caminho foi percorrido e é exatamente esse o assunto que as pesquisadoras da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) Betty Lacerda e Rita de Cássia Araújo levarão para o público do Circuito Cultural Digital de Pernambuco (www.circuitoculturalpernambuco.com.br) nesta sexta-feira (11), às 15h, no painel Por dentro do livro.

A fala das duas pesquisadoras no Circuito Cultural, uma iniciativa da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) com curadoria da Fundação Gilberto Freyre, está ancorada em três coletâneas de fotografias publicadas pela Cepe Editora: Alcir Lacerda (2012) e Lula Cardoso Ayres (2017), organizados por Betty Lacerda, e Benício Dias (2015), com organização de Rita de Cássia Araújo e Betty Lacerda. “Elas vão contar como foi a construção dos livros, desde a concepção da ideia até a edição final, esse é um elemento novo que o formato digital permite”, declara a curadora do Circuito, Jamille Barbosa.

De acordo com Betty Lacerda, a ideia nasceu de uma união entre a Fundaj, que pretendia fazer livros com as imagens existentes no acervo da instituição, e a Cepe Editora, que abriu espaço para lançar títulos dedicados a fotografias. Com a proposta definida, elas convidaram pessoas para participar da curadoria das fotos, providenciaram a digitalização de cada uma delas e selecionaram especialistas para escrever os textos inseridos nas publicações.

“É doloroso para o curador fazer a escolha das fotos, é um momento de muita dor porque o material é vasto e não podemos usar tudo”, destaca Betty. De quase 4 mil imagens da coleção autoral de Alcir Lacerda, cerca de 200 compõem o livro. Para o título de Benício Dias, foram separadas quase 200 fotos num acervo de mais de duas mil imagens. Das 900 fotos digitalizadas de Lula Cardoso Ayres, pouco mais de 150 estão na publicação. “Nós temos de decidir o que vamos trazer à luz e o que deixaremos no esquecimento, é difícil porque todas têm qualidade técnica e artística extraordinárias”, afirma a pesquisadora.

A arte de fazer um livro, nesse caso de fotografia, diz Betty Lacerda, também envolve os processos de pesquisa, tratamento de imagem, diagramação, revisão e gráfica, formando uma grande equipe. Da ideia ao produto final, o livro de Alcir Lacerda (a maior parte da fotos pertence ao acervo da família) levou um ano para ficar pronto. Benício Dias e Lula Cardoso Ayres consumiram seis meses, cada. “Por dentro do livro há muito trabalho”, observa. Os títulos trazem fotos documentais. “É um documento da realidade, mas não é só uma repetição do real, há interpretação e arte”, ressalta.

O Circuito Cultural Digital de Pernambuco está dividido em quatro etapas mensais e se estenderá até dezembro. A primeira fase, com cinco dias de duração, teve início quarta-feira (9) termina no próximo domingo (13). As atividades são gratuitas e podem ser acessadas no portal do evento (www.circuitoculturalpernambuco.com.br), que presta homenagem a João Cabral de Melo Neto, no ano do centenário de nascimento do poeta. Mais de 20 editoras, livrarias e instituições estão inseridas na programação com ações próprias.

 

Programação da sexta-feira (11)

 

8h – Podcast Cultural

Notícias sobre o mundo literário e temas afins

 

8h30 – Ler, muito prazer!

Exibição de vídeos de experiências de leitura (individuais ou coletivas) de crianças na primeira e segunda infância

 

9h – Senta, que lá vem história!

Contação da história do livro A domadora de Palíndromos (Cepe), de Fred Bellintani, com o Tapete Voador

 

9h45 – Dinâmica das letras

Criação de palíndromos, com Tapete Voador

 

10h – Oficina

Oficina de construção de instrumentos musicais com Givanilson Soares

 

11h – Bate-papo

A literatura como cura: o poder terapêutico da leitura com Dante Gallian, Carla Souza e Érica Montenegro (mediadora)

 

12h – Podcast Cultural

Trópicos (Revista Continente) – Poesia e pandemia

 

13h – Videocast Cultural

Documentário Memória da Cana, de Evaldo Mocarzel

 

14h – Oficina Teatro para Crianças

Com Dani Travassos da Companhia Fiandeiros de Teatro

(Acorda corpo! Acorda voz!)

 

15h – Por dentro do livro

Conversa sobre coletâneas de fotografias editadas pela Cepe Editora (Alcir Lacerda, Benício Dias e Lula Cardoso Ayres). Participação de Betty Lacerda e Rita de Cássia Araújo.

 

16h – Bate-papo

Experiências criativas em tempos de pandemia. Participação de Bruna Lubambo, Jarbas Domingos e Gianni Melo (mediadora)

 

17h – Palestra

O tempo do autoconhecimento. Participação de  Rossandro Klinjey, autor do livro O tempo do autoencontro, e  KiKa Freyre (mediadora)

  

18h – Contação de história

Contação da história do livro A domadora de Palíndromos (Cepe), de Fred Bellintani  com o Tapete Voador

 

18h45 – Dinâmica das letras

Criação de palíndromos, com Tapete Voador

 

19h – Prazer de Ler

Exibição de vídeos de experiências de leitura (individuais ou coletivas) de adolescentes e adultos

 

19h30 – Lançamento digital

A história da eternidade, de Camilo Cavalcante. Conversa entre o autor e a jornalista Luciana Veras

 

20h – Sarau

Teatro em perspectiva com a Companhia Maravilhas de Teatro

 

 

Assessoria de Imprensa da Cepe

Compartilhar:

Deixe um comentário